Mundo de olho nas doenças Crônicas

Mundo de olho nas doenças Crônicas

Comissão pede ação urgente contra doenças crônicas

Um novo relatório da Comissão Independente de Alto Nível da Organização Mundial da Saúde (OMS) sobre Doenças não transmissíveis (DNT’s) pede uma ação urgente para tratar de doenças crônicas e transtornos mentais. Este tipo de ação exige um compromisso político de alto nível e o aumento imediato das ações para enfrentar a epidemia de DNT’s, as principais causas de morte e problemas de saúde no mundo.

As doenças não transmissíveis (DNT’s), incluindo doenças cardiovasculares, câncer, diabetes, doenças respiratórias crônicas e transtornos mentais, tendem a ser de longa duração e são o resultado de uma combinação de fatores genéticos, fisiológicos, ambientais e comportamentais. O uso do tabaco, a inatividade física, o uso prejudicial do álcool e dietas pouco saudáveis ​​aumentam o risco de morrer de um DNT. A OMS também reconhece que a poluição do ar é um fator de risco crítico para as DNT’s

Coletivamente, câncer, diabetes, doenças pulmonares e cardíacas matam 41 milhões de pessoas por ano, respondendo por 71% de todas as mortes no mundo, 15 milhões das quais ocorrem entre 30 e 70 anos de idade. O relatório concentra a atenção em desafios crescentes mas muitas vezes negligenciados, como transtornos mentais e obesidade.

A Comissão apresenta 6 (seis) recomendações aos líderes políticos no seu relatório. São elas:

1. Assumir a responsabilidade pela agenda das DNT’s, em vez de delegá-la, uma vez que requer colaboração e cooperação em muitos setores;

2. Identificar e implementar um conjunto específico de prioridades dentro da agenda geral de DNT e saúde mental, com base nas necessidades de saúde pública;

3. Reorientar os sistemas de saúde para incluir a prevenção e o controle das DNT’s e os serviços de saúde mental naspolíticas e planos de cobertura universal de saúde;

4. Aumentar a regulamentação efetiva, o envolvimento apropriado com o setor privado, a sociedade civil e as comunidades;

5. Desenvolver um novo paradigma econômico para o financiamento de ações sobre DNT’s e saúde mental;

6. Fortalecer a prestação de contas aos seus cidadãos pela ação sobre as DNT’s e simplificar os mecanismos de responsabilização internacional existentes.

“Conhecemos o problema e temos as soluções, mas, a menos que o financiamento para as DNT’s sejam elevados e possamos exigir que todas as partes interessadas sejam responsáveis ​​por cumprir suas promessas, não conseguiremos acelerar o progresso”, disse a co-presidente da Comissão, Dra.Sania Nishtar “A epidemia de DNT’s explodiu em países de baixa e média renda nas últimas duas décadas. Precisamos agir rapidamente para salvar vidas, evitar o sofrimento desnecessário e evitar que sistemas de saúde frágeis entrem em colapso ”.

Cumprir a promessa de cobertura universal de saúde para garantir que todas as pessoas em todos os lugares possam acessar serviços de saúde de qualidade, sem sofrer dificuldades financeiras, é um das principais prioridades. O relatório da Comissão ajudará a orientar os países à medida que avançam em direção à saúde para todos e enfrentam as DNT’s e os assassinos infecciosos.

“A OMS (Organização Mundial da Saúde) foi fundada há 70 anos com a convicção de que a saúde é um direito humano a ser desfrutado por todas as pessoas e não um privilégio para poucos”, disse o diretor-geral da OMS, Dr.Tedros Adhanom Ghebreyesus. “As recomendações deste relatório são um passo importante para concretizar esse direito, prevenindo o sofrimento e a morte causados ​​por doenças não transmissíveis.”

Ao apelar aos líderes políticos para assumir a responsabilidade final pelas DNT’s, o relatório, que também foi publicado simultaneamente na revista médica The Lancet, reconhece a necessidade de garantir que os ministérios da saúde tenham a influência necessária para garantir que a questão seja apoiada. a vontade política e o financiamento que merecem.

A entrega do relatório ao Diretor-Geral da OMS é a primeira atividade da Comissão, que continuará a fornecer apoio de alto nível à comunidade de DNT’s, catalisando a ação e o financiamento, especialmente nos países.

Em 27 de setembro de 2018, a Assembleia Geral das Nações Unidas sediará a 3ª.Reunião de Alto Nível sobre DNT’s, em Nova York. O relatório da Comissão ajudará a aconselhar a OMS enquanto se prepara para esta ocasião crucial.

Os co-presidentes da Comissão incluem os presidentes da Finlândia, Sri Lanka e Uruguai, o Ministro da Saúde da Federação Russa e a Dra.Sania Nishtar. A Comissão inclui líderes de saúde e desenvolvimento de governos, sociedade civil e empresas.

Adicionar comentário