Solidariedade em Fios: Doe Cabelo a Pacientes com Câncer.

Solidariedade em Fios: Doe Cabelo a Pacientes com Câncer.

Entre os sintomas mais temidos da quimioterapia está a queda de cabelo, que produz um efeito imediato na autoestima do paciente.

A perda acontece porque a terapia age indiscriminadamente em todas as células do corpo, não apenas nas cancerígenas, como as localizadas nos folículos pilosos. Os tipos de câncer que exigem tratamento mais “agressivo”, como o de mama, leucemias e linfomas, são muitas vezes combatidos com remédios que ocasionam a queda, o que nem sempre ocorre.

A queda dos cabelos não é imediata e começa a acontecer de 14 a 21 dias após a primeira sessão de quimioterapia. Os fios voltam a nascer cerca de 90 dias depois do fim do tratamento, em alguns casos um pouco mais crespos.

A doação de cabelo é um exercício de solidariedade que pode ajudar pacientes a passarem pelo tratamento sem tanto impacto na autoestima. Entretanto, o que muitos desconhecem é o longo e oneroso processo que uma mecha de cabelo leva até efetivamente virar uma peruca na cabeça de um paciente. Não basta apenas cortar qualquer tamanho de cabelo e doar. É preciso ir além e entender toda cadeia produtiva para ajudar.

A ação estimula doação de cabelos que tenham entre 10 e 15 cm de comprimento; pode ser qualquer tipo de cabelo: enrolado, liso, natural, com química, loiro, ruivo.

Qualquer pessoa pode fazer uma grande ação: doar uma parte do seu cabelo e ajudar quem mais precisa. As ONG’s responsáveis pelo programa farão as doações das perucas aos mais diversas instituições de tratamento contra o câncer.

Algumas organizações não governamentais fazem o processo do início ao fim, desde o recebimento dos cabelos até a confecção da peruca e posterior entrega ao paciente, inclusive, promovem cursos de Prótese Capilar e Megahair, que tem a expertise para desenvolver a peruca.

Não perca tempo. Se você possui cabelos com o tamanho desejado, faça a sua doação. Você irá se desfazer de algo que não tem custo e que logo estará de volta.

A SICCS apoia está causa.

 

Adicionar comentário