COMO EVITAR AS DOENÇAS DE INVERNO DURANTE A PANDEMIA.

COMO EVITAR AS DOENÇAS DE INVERNO DURANTE A PANDEMIA.

Começou o inverno e, junto com ele, a temporada em que muita gente fica mais suscetível a gripes e resfriados. O ar frio e seco da estação demanda cuidados para quem costuma ter crises de asma e rinite alérgica. E, como todas essas doenças acometem as vias respiratórias, os sintomas podem ser confundidos com um quadro de COVID-19. Por isso, é importante observar atentamente os sinais do corpo, considerando o histórico médico e outros possíveis fatores de risco, em busca de distinguir melhor as doenças e saber se é necessário procurar atendimento médico imediato.

ASMA E RENITE

São doenças crônicas, mas seus portadores podem ter vida normal com o tratamento adequado. Também é recomendado que sejam adotados cuidados extras nesta época do ano, já que a queda na temperatura e os agentes virais podem desencadear crises. No caso da rinite, a mucosa do nariz fica irritada e os primeiros sinais são coriza, obstrução nasal, crise de espirro e coceira intensa no nariz assim como nos olhos, geralmente acompanhados de mal-estar e indisposição.
Por se tratar de uma inflamação nos brônquios pulmonares, as crises de asma resultam em sintomas mais severos: tosse seca, desconforto e chiado na região do tórax e falta de ar — sintoma que pode ser agravado caso a pessoa esteja com o novo coronavírus. É por isso que asmáticos são considerados grupo de risco para a COVID-19, segundo a Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia.
A rinite, isolada na região nasal, não oferece riscos, mas a Associação Brasileira de Alergia e Imunologia recomenda o controle de todas as doenças respiratórias. Os medicamentos anti-inflamatórios hormonais — corticoides, embora não sejam indicados pela Organização Mundial da Saúde no protocolo de tratamento da COVID-19 — não devem ser suspensos pelas pessoas com asma e rinite que fazem uso desses remédios com prescrição médica (caso necessite, você pode consultar seu médico via telemedicina neste momento). Ainda assim, lembre-se de procurar atendimento hospitalar caso a falta de ar se torne severa e não ceda com tratamento medicamentoso.

GRIPE E RESFRIADO

Os sintomas de uma gripe forte, como a Influenza, são ainda mais fáceis de serem confundidos com os da COVID-19. Além de tosse e coriza, surgem dores no corpo e na garganta e febre alta. Ambas as doenças podem evoluir para um quadro de pneumonia, complicação que requer atendimento hospitalar. O Ministério da Saúde recomenda a vacina contra Influenza, que, apesar de não combater o novo coronavírus, é importante para diminuir o número de pessoas com a gripe nos hospitais, já sobrecarregados com a pandemia. Caso você tenha apenas um resfriado, os sintomas costumam ser mais brandos e, geralmente, sem febre e com rápida recuperação.

Cuidados Extras:

Mesmo dentro de casa, adote alguns cuidados para evitar as alergias respiratórias. Independentemente do frio, mantenha os ambientes arejados (abra portas e janelas) e, sempre que possível, procure lavar roupas e cobertores que ficam guardados no armário durante as outras estações do ano. Veja mais formas de prevenção, indicadas pelo Ministério da Saúde.

Deixe os ambientes sempre limpos, livres de poeira;
Evite tapetes e cortinas dentro do quarto;
Troque as roupas de cama regularmente;
Mantenha-se agasalhado se tiver frio;
Não fique em locais com cheiro forte de produto de limpeza;
Não fume ou fique perto de fumantes;
Adote uma alimentação e estilo de vida saudáveis.

Fique alerta a sua saúde neste inverno.

Fontes: Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia, Associação Brasileira de Alergia e Imunologia, Organização Mundial da Saúde e Ministério da Saúde.

Adicionar comentário